21 fevereiro 2013

Potinhos de Ouro

Assim a Rafaela nomeou os sachês e nós adoramos, porque no fundo é muito verdadeiro. O desafio de fazê-los foi grande e missão dada é missão cumprida. Depois de aceitar o trabalho, não dava mais para recuar. 
O pedido foi fechado no dia 15 de fevereiro no turno da tarde. As compras foram feitas no sábado cedinho em Porto Alegre. Aqui na cidade, não havia material em quantidade suficiente para as 600 unidades. 
Lembrancinhas nunca foram nosso foco, já fizemos algumas para aniversários, para casamentos e batizados, mas nunca neste volume, o que  tornava difícil mensurar o tempo para executá-las e o quanto isto exigiria da capacidade física.
A tensão começou na busca pelo tecido amarelo. Não podia ser amarelo pastel/bebê, não deveria cair para cartela do laranja e tinha que ser um tom liso. Na primeira loja nada, na segunda nada... encontramos na quinta loja. Ufa! O drama era que a peça estava aberta e a vendedora achou que não teria metragem suficiente, dedos cruzados e começamos a medir, sobrou meio metro na loja. O tom é um pouco mais pálido do que o desejado, mas amarelo o suficiente para executar o trabalho.
Sábado ao meio dia já estávamos de volta a casinha e a noite já estávamos cortando tecido e assim seguimos por toda manhã de Domingo, depois vieram os pedaços de fita, separamos a essência e tudo passou a cheirar a canela. O Atelier, o ar da casa, a alma.
A montanha de tecido cortado assustou, parecia interminável. Nessa altura, as mãos já estavam levemente doloridas e o trabalho mal havia iniciado. E parecia infinito.
Um a um os sachês foram surgindo no melhor estilo de produção em série e todos os recursos foram utilizados: almofada nas costas, alongamento das mãos, doses extras de café, boa música, silêncio completo e ambiente climatizado, enquanto na rua o termômetro batia fácil nos 30/32ºC. 
Os sachês 'brotavam' mas a tarefa parecia interminável, mesmo com a sobrinha Fofoléti por aqui não houve descanso, apenas sorrisos na vontade dela de auxiliar na tarefa perfumada.
Na noite de segunda, as mãos já estavam ora dormentes, ora formigando. Através da janela vimos tudo: sol, chuva, temporal, ventania, passarinhos, lua, noite escura. Conforme os sachês nasciam por aqui, a torcida dos bastidores aumentava e aumentava o orgulho, a certeza de que onde existe empenho, há resultado e assim mais uma vez confirmamos que um final de semana sacrificado, uma, duas ou três noites mal dormidas valem a pena; absoluta certeza de que o retorno vem. Seja pelo elogio, pelo carinho, por outra encomenda, pela confiança, ele sempre vem!
Neste caso, os 'potinhos de ouro' trazem mais do que o pagamento pelo serviço, trazem o gostinho da vitória, o reconhecimento do esforço, o orgulho pela dedicação ao trabalho, a alegria de vencer o prazo curto, a determinação de brigar com o sono, com o cansaço e com a mesmice de repetir 600 vezes a mesma tarefa.
O nosso orgulho está estampado no 'bouquet de rosinhas amarelas', está em cada laço de fita. Em cada um dos sachês, alinhados lado a lado nas 12 caixas.
E este trabalho também é a resposta para os e-mails que questionam qual a receita para ter encomendas nos meses de janeiro e fevereiro? Não tem receita, tem trabalho sério, tem disponibilidade, tem a vontade para aceitar os desafios e fazer serviços diferentes. Tem a coragem de tentar, de ousar e de querer mais, porque a recompensa virá, porque a vida sem desafios e coragem é muito chata. 
E hoje, virá uma uma noite para relaxar, descansar e curtir uma dose extra de sono e sogni d´oro. 
Amanhã voltamos a programação normal ;)

4 comentários:

Bel disse...

Lindo Post ! Inspirador !

Katia disse...

Oi, Parabéns! Sei o quanto é gratificante executar cada passo de uma tarefa desse tamanho e mais ainda terminá-la. Há um tempinho aceitei fazer umas lembranças para um casamento, quase sem prazo. Foram 850 vasinhos com buquês de botões de rosa e como vocês não sentia mais as mãos. Mas foi maravilhoso vencer o desafio! Espero que mais encomendas sejam feitas porque o sucesso é certo! Beijos.

Feito a mão baby disse...

já falei que gosto da tua narrativa?
nessa cadência leria fácil fácil um livro escrito por ti....
quem sabe?

parabéns pelo tarefa cumprida!
bjoooooo

♥ Nia disse...

Quem não adora os teus post? :D
Sempre te disse que tens o dom da palavra :) Que bonita produção, é tão giro ver assim todos os potinhos de ouro juntinhos! Mais bonito ainda de acompanhar com o teu texto, adorei =)
Parabéns ao Atelier Caseiro! Sempre com o carimbo de sucesso :D