10 dezembro 2014

Atenção Pessoal, mudamos!

Mudamos o local da casinha, atendendo as recomendações do Facebook. Desativamos o perfil Atelier Caseiro e migramos para fanpage:  www.facebook.com/ateliercaseiro
Tudo permanecerá do mesmo jeitinho, com o mesmo carinho, as mesmas lindezas e a mesma paixão pelo artesanato.
Agora é só chegar e curtir.
Vai nos largar? Nãoooo! Clica no link, curte e siga conosco. 

02 dezembro 2014

Só uma lembrancinha...

Essa é uma das frases mais faladas nesta época do ano por quem oferece um presente e mesmo por quem pede um presente.
É falada nas combinações das festas familiares e nos amigos ocultos feitos em empresas. São três palavras, SÓ UMA LEMBRANCINHA. E um significado gigante que embute desejos e por vezes um bocado de trabalho.
Na maioria das vezes não é só uma lembrancinha. Independente do tamanho do mimo, é um carinho, um aconchego, um agrado. 
No nosso caso, é algo feito com carinho e cuidado. No post de ontem avisamos que voltaríamos a falar sobre as lembrancinhas, justamente por este motivo, para que vocês tenham uma ideia real da dimensão do trabalho envolvido.
Nesta encomenda específica, foram 500 unidades.
Cerca de 8 metros de tecido, 80 metros de fita, 500 flores rococó, essência, 500 etiquetas.
Pronto acabou! Barbadinha né?
Você que pensa....
8 metros de tecido comprados em outro Estado, depois de uma busca insana por esse tom de roxo. 8 metros passados e cortados em 500 pedacinhos.
80 metros de fita, cortada em 500 pedaços.
500 flores, compradas em outra cidade, pois aqui não encontramos nesta quantidade.
500 etiquetas encomendadas e retiradas na gráfica.
Essência encomendada e manipulada por farmacêutico.
Pronto, só montar e acabou! Dá para fazer "de boa".
Dá sim. Dá para curtir e se encantar com um trabalho assim, só que não acabou.
Para amarrar o sachê um nozinho + um nozinho para etiqueta. 500 +500 já são 1000 nózinhos. E depois deles, os dedos doem. 
500 pingos de cola para a flor. Mais alguns perdidos pela mesa.
E aí você está pensando: _Pronto, acabou, nem doeu tanto assim.
Não acabou não bonita(o)!
E o arremate?
Mas que raios de arremate? Está pronto.
Não, não está pronto, não! Agora você corta as pontinhas da fita para que fiquem bonitas.
Cá entre nós, ninguém morre por cortar 500 pontinhas de fita. Naaninanãooooo, olhe bem!
São duas pontas, são 1000 pontinhas pra cortar. Ok, quem corta 500, corta mil... Mas lembra que nos 1000 nozinhos de fita, a mão já estava doendo...
Agora acabou.
Ainda não! Se cortamos mil pontas de fitas, é preciso queimar quantas pontas? Ainda bem que você sabe somar, isso mesmo, mil pontas. Mil vezes apertando o isqueiro!
Louca!!! Mas pra quê isso?
Ora, para que não desfiem. Ou você entregará para o cliente uma coisa desfiada?
Nós não entregamos.
Ok, agora está finalizado né? 
Que pressa, já cansou? Ainda não está finalizado. Falta acertar o topo, para que fiquem todos com o mesmo jeitinho.
Ah vá, agora acabou.
Mais ou menos.  Você vai juntar todos os sachês da mesa e levar para o cliente na mão? Vai jogar todos numa sacola e dizer: Prontos para entrega.
Se você faz desse jeito, escolha sua.
O Atelier Caseiro, não faz assim, nós acomodamos um a um na caixinha.
Um a um! 500 vezes. 7 caixas.
Todos os sachês conferidos.
Todas as caixas com o número de unidades identificado.

Pronto... Pronto sim! Os sachês estão prontos para a entrega.
Agora sim, a empresa poderá mimar seus clientes.
Agora sim, a nossa missão está cumprida! Opa! Ainda não, falta entregar ao cliente. Essa passo será dado amanhã.
E agora que você conheceu o processo de produção, lembre-se uma lembrancinha é um presentão, que foi pensado e produzido com muito carinho. ♥

01 dezembro 2014

Tudo junto e misturado!

Gente tanta coisa acontecendo nesta casinha. Hoje quase fomos de caminhãozinho para os correios. Partiram daqui caixas e envelopes cheios de amor. Tomara que as lindezas cheguem em segurança aos destinos.
 
Sábado testamos a receita do Bolinho de Natal, Bolinho Noite Feliz. É para alegrar uma festa de Natal antecipada, que acontecerá no próximo dia 6. No final da semana sairá nova fornada, bolos fresquinhos para uma família linda. Quem já provou, gostou!
 

As estrelinhas não são "fofolindas"? Ah, quando é assim, inventamos adjetivos mesmo.
Elas são encomendas que uma mamãe fez, para enfeitar o Natal e marcar a chegada dos bebês na família. Só topamos bordar porque a ideia foi tão meiga que seria pecado recusar.
 
Fizemos mais um bazar e foi uma delicinha.
Como sempre, uma edição é diferente da outra. Bazar é sempre único. 
Neste a manhã foi super calma, deu aquele frio na barriga, aquele aiiii será que as pessoas esqueceram?
Nãoooo, claro que não! A tarde foi cheia e linda. :D

 
Também teve aula!
Fizemos os porta panetones e um amigo secreto. Para a brincadeira selecionamos um pote de conserva e cada participante, acrescentava o que bem entendesse do mundo das artes, dentro dele.
Foi tão lindo, tanta criatividade!
Um vidro muito diferente do outro e todos lindos.
Este verde e vermelho, foi o que nós presenteamos! 
Cansaram de ler?
Ahhh gente, que isso? Moleza é gelatina, ainda tem muito mais.
Só uma amostrinha tá?


50 lembrancinhas de um total de 500! Voltaremos para falar delas e dos outros trabalhos que deixam nossa agenda linda, cheia, cheia.
Eu falei que era só uma amostrinha ♥ 
 
 


23 novembro 2014

De mãos dadas...

...Se vai mais longe!
Essa frase, traduz o pensamento do Atelier Caseiro. Acreditamos em cada palavra dela. Por mais que sejamos independentes e sem parceiros oficiais de trabalho, não trabalhamos completamente sozinhos.
É assim em dia de bazar, quando dividimos o espaço com outros artesãos.
É assim em dia de aula, quando trocamos experiências e conhecimentos com alunos.
É assim quando nasce um produto, sugerido por um cliente ou quando familiares e amigos dão palpites sobre o que o que estamos fazendo.
É assim, quando Queridos viajam, compram materiais e trazem na mala, de presente para esta casinha. É assim em várias outras situações do nosso dia a dia!
Foi assim quando precisamos 10 metros de um mesmo tecido, e tínhamos urgência, trocamos mensagens durante o dia com a Vivi, da Vita Colorita, no  fim do dia ela fechou um pedido, confirmou nosso tecido e conseguiu nos mandar numa rapidez de dar inveja aos foguetes da NASA.
Também foi assim, quando uma cliente desta casinha encomendou as lembrancinhas do primeiro ano do neto. Já tínhamos feito os anjinhos do batizado e admitimos aqui no blog que nosso foco não são as lembrancinhas, não temos o material disponível para elas. Gostamos, achamos fofas, eventualmente fazemos alguns itens que envolvem tecido, mas nosso leque de opções é limitado. Mesmo assim a cliente insistiu para que cuidássemos das lembrancinhas, porque gosta e confia no nosso trabalho. Ela especificou o tema, nos deu 'carta branca', prazo longo e até liberdade para que outra pessoa desenvolvesse o trabalho, contanto que nos responsabilizássemos pela entrega.
Assim, contatamos a Lulu Peral, da carioca Poá Encantado.
Porque ela, entre outras pessoas que também trabalham com lembrancinhas?
Porque é amiga desde os tempos do blog Meninas Versáteis, porque a Lulu é cliente de longa data da nossa casinha e principalmente porque desenvolve um trabalho voltado para festas infantis personalizadas. É dedicada, é perfeccionista, extremamente responsável com prazos e topou terceirizar o serviço.
 E aqui fazemos um parênteses que merece a atenção de todos.
Quando você terceiriza um serviço, a responsabilidade é sua, então é preciso confiar no 'fornecedor', mas não é preciso ignorar, menos ainda deixar o nome dele no anonimato. Pedir ajuda para satisfazer/atender um cliente é comum, principalmente em épocas como esta, que antecede o Natal.
Provavelmente algumas pessoas pensam que isto afastará os clientes, ou que os clientes irão direto ao fornecedor e que ele ganhará novos clientes. Não é verdade. O cliente satisfeito cria raiz, traz novos clientes, recomenda, indica, o cliente satisfeito volta. Além do mais, se procurarem diretamente a Lulu, tudo certo, lembrancinhas personalizadas é a "praia" dela. Outros clientes ela vai mandar pra cá. É assim que funciona, cliente satisfeito não se perde, ele circula e volta!
Acreditem nisso porque é assim que funciona. E não, isto não é ingenuidade, isto é praticamente coworking.
Fazer mais e melhor para os nossos clientes, é o que nos alimenta, é o que nos move. Se faremos sozinhos ou de mãos dadas, é detalhe, mas faremos o que estiver ao nosso alcance para atender os nossos clientes. Sempre e sem medo de perdê-los. Damos asas, permitimos o vôo e sempre autorizaremos o pouso nesta casinha. ♥ 
E, antes de encerrar o post mais duas coisinhas:
1) Um agradecimento as alunas, ontem foi a última aula do ano, todas passaram com estrelinha dourada no boletim. Obrigada meninas pela troca, pela confiança, pela diversão e pelos presentes. Vocês são incríveis. #mimadasim
2) Encerramos com o convite para confraternizarmos na próxima quarta-feira, no BAZAR! Porque vocês já sabem, bazar é a oportunidade de ver com as mãos tudo o que mostramos pela internet, é nosso dia de festa. Venha celebrar conosco o ano bom! :D

01 novembro 2014

Tudo junto e misturado!

É desse jeito que são os dias nesta casinha.  Tarefas na rua, conversas com clientes, projetos, planejamentos, fechamento de pedidos e de datas na agenda. Ritmo acelerado como pede o mês de novembro.
Sim, já estamos em novembro, mais um ano próximo do fim, Papai Noel batendo na porta, alguns contando com as férias... E, todos com uma única certeza: 2014 passou rápido! Bem rápido.
Entre os trabalhos dos últimos dias, nasceu uma colcha de casal cinza, preto e branco.
Os quadradinhos cortados, exatamente 210 unidades.
 
Definir a ordem em que o tecido será costurado, é quase como montar um quebra cabeças.

Depois de estabelecer a ordem, a sequencia é costurar todos eles, um a um.
 
Feito isso, é preciso quiltar o topo com o avesso, arrematar com o viés, passar e entregar para o cliente ser feliz! Isso nos realiza!

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Uma colcha toma tempo, mas começamos o post contando que aqui é tudo junto e misturado, não é? É!
A "gente canta, dança, bate palmas, assobia, chupa cana, costura muito e não quer parar..." Abaixo uma amostrinha de um presente que será entregue numa festa familiar de Natal.
 
Uma pitadinha da Culinária com Amor - Atelier Caseiro que terá uma edição limitada de bolinhos em dezembro. Fiquem atentos, serão poucas unidades, com entrega somente para Taquara-RS.
 
Aproveitamos para lembrar que um presente artesanal, tem embutido muito amor e que comprar de quem faz é muito mais bonito e prazeroso! Valorize os artesãos, a dedicação e o trabalho bem executado. Prestigie.
E depois desse papo todo, o que dizer?
Tem cliente novo chegando, tem cliente que é fiel, tem cliente eventual, tem cliente que vem indicado por outro cliente e nós continuamos com a certeza de que os melhores clientes são os nossos, os clientes do Atelier Caseiro. Agradecemos todos os dias pela confiança que vocês depositam no nosso trabalho! ♥
  Vocês nos movem e é por vocês que buscamos sempre fazer mais e melhor.

18 outubro 2014

Tempo, tempo, tempo...

Já faz um tempo que não atualizamos nosso trabalho por aqui. Poderíamos listar uma infinidade de motivos, justificar de várias formas, mas aos nossos queridos leitores pedimos desculpas e vamos ao "papo do blog". Voltamos e aqui pretendemos ficar!
Do nascimento das nossas
guriazinhas tanta coisa já aconteceu, em um resumo com muitas fotos, vamos aos fatos.
Costuramos jogos americanos:
 
 
 
Fizemos algumas colchas
 
 
 
 
 


Fizemos um monte de pacotinhos e despachamos muitas lindezas nos Correios:
 
 
 
Perfumamos gavetas e armários com trouxinhas de sachê:
 
 
Também perfumamos muitos sapatinhos com os nossos chulezinhos, ops sachezinhos. Lindos e perfumados, porque chulé ninguém quer!
 
A gente fez Bazar e para ele costuramos esta lindeza pintada a mão pela talentosa Renata Barillari. O nosso novo panô fez sucesso.


 Fizemos bazar e nele a estreia do nosso 'puxadinho'(foto abaixo).  Foi a forma que encontramos de expor melhor os nossos produtos.
Pendurados, em cestinhos e não apenas amontoados sobre a mesa.
O cliente enxerga melhor as opções e o colorido, as coisas ficam mais organizadas e também é mais fácil de coordenar a ordem dos produtos.
O melhor é que a estrutura é fácil de montar, de desmontar e leve para transportar!


 
Fizemos bolsinhas:

Foram duas aulas nesse tempo sem papo no blog. Aula de porta maquiagem e porta passaportes:

 
Traçamos algumas definições para esta casinha. Essas palavras nos representam!

 
Nesse mês e meio fizemos um bocado de coisas, só não tínhamos contado aqui no blog. ♥

24 agosto 2014

Fofuxa. Fofoléti. Fofura. Fofinha: São as nossas guriazinhas!

O Atelier Caseiro tem novidade mas vou fazer um charme e contar uma historinha, para deixar todo mundo um pouco mais curioso ;)
Sabem aquela máxima de que toda menina já brincou de bonecas? Eu brinquei e muito. Até já contei aqui que quando criança tive uma casinha de bonecas construída pelo meu pai e pelo meu avô. 
Hoje tenho o Atelier Caseiro com logo de casinha e de bonequinha, só a sobrinha Fofoléti.
Vocês sabem que em julho, fui para SP, fui na Mega Artesanal, trabalhei, me diverti e encontrei amigos, ri um monte e também tive conversas profissionais, daquelas tipo papo sério. Claro que sério às vezes flui na empolgação do momento e depois não dá em nada e noutras com um pouco(ou bastante) empenho dá samba e dos bons. Ok, é da vida matar um leão por dia, sonhar, tentar, realizar e acreditar nisso. Eu sou teimosa. Sou insistente, sou determinada, sou chata. Mentira, não sou não!
Mas todo papo têm um lado possível, um desejo que pode ser realizado, e um ladinho que é sonho. Sonho anima, motiva, mas não enche barriga nem paga contas, então com os pés no chão, parti para o que era possível concretizar hoje. Vencendo etapas, no famoso devagar e sempre, chamei a amiga no "whatsapp" e disse:
_Lembra do papo de SP? Vamos tentar?
Em tempos de resposta instantânea: _Vamos. Agora!
Voltando na historinha do início do texto, toda menininha adora brincar de boneca e brincar junto com as amigas é muito mais divertido. Então, neste capítulo a Patricia Fernando, vira personagem desta história.
Ela é gaúcha, somos amigas do tempo em que residíamos em Porto Alegre, nos conhecemos pelo artesanato e mesmo depois de ter vindo para o interior do RS e ela mudado para selva de pedra paulistana, sempre mantivemos contato. 
Como eu, a Patricia também brincou de bonecas quando pequena, hoje tem uma filha Fofoléti e administra a Temperos da Vida, um mix de artes, da culinária passando pelo bordado, os tecidos e a ilustração digital.
Assim, em uma casinha bem temperada,  resolvemos 'brincar' juntas.  
Unimos nossas experiências e voltamos às bonecas. Imaginamos as nossas bonequinhas. Ela fez a arte e eu providenciei a impressão em metros de tecido 100% algodão. Aliás, aqui minha mãe brincou junto, foi ela a responsável pela compra da metragem de tecido no fornecedor em Porto Alegre. Nossas bonecas têm vó que  brinca junto. ♥
De conversas e mensagens, realizamos o sonho da maioria das artesãs que trabalha com tecido: ter uma estampa própria para chamar de sua.
Pouco? Muito? Depende de quem vê e da forma que lê a nossa história, para nós foi um passo importante para o Atelier Caseiro e para Temperos da Vida. É gratificante ter realizado esta tarefa mesmo que de um modo artesanal sem contar com o apoio de nenhuma empresa do ramo têxtil. É trabalho nosso do início ao fim. Com agradecimentos ao local que fez a impressão, lógico.
Nossa idéia, nosso brinquedo, nossas guriazinhas, as nossas bonequinhas! Fofuxas, Fofinhas, Fofolétis.

Foi assim, com a temperatura amena para o inverno gaúcho, precisamente as 10:35 da manhã do dia 20 de agosto de 2014 que nasceram as quadrigêmeas.




Trocamos muitas mensagens, pedimos opinião para pessoas próximas, pensamos muito, construímos a quatro mãos e cuidamos para que nossas guriazinhas também pertencessem ao imaginário infantil. A verdade é que nós brincamos desenvolvendo com seriedade este trabalho. Nós nos divertimos. 
Tem boneca loirinha, ruiva e morena.
Tem a menininha com o terço, que pode ser presente para recém nascida, para Primeira Comunhão ou Eucaristia, para quem está dodói e apenas para quem tem fé na vida! 
Fé de que tudo dá certo na hora que tem que dar.
Claro que além da diversão, vieram os testes, não é só oba-oba.

Direitos Reservados
 

Testamos a impressão, tamanho, lavamos o tecido, passamos com ferro quente e deu tudo certo. As bonecas já estão disponíveis para que vocês possam se divertir tanto quanto nós.
Acredite nos seus sonhos, crie a sua história.  Realize projetos, busque metas e não esqueça de sorrir e de ser feliz porque a vida é rápida demais para não brincarmos de boneca. :D