13 maio 2013

Craft? Bazar? Você sabe o que é?

Muitas pessoas temem o desconhecido e não as culpamos por isso, sabemos que tudo que é novo assusta, gera receio, e em alguns casos até uma angústia. Por conta disso resolvemos desmistificar alguns termos, frequentemente usados no blog e no 'mundo das artes'.

CRAFT > tem origem no movimento inglês Arts & Crafts que dizem é o preconizador da art nouveau. É tido como  um movimento estético e social, da segunda metade do século XIX, que defende o artesanato criativo como alternativa à mecanização e à produção em massa. 
No Brasil é comumente utilizado como sinônimo para artesanato ou arte. Também pode fazer referência ao trabalho artístico, no sentido de ofício. 
O craft vêm carregado de modernidade, têm alma, é recheado de características e preferências de quem o faz. Também é tido como uma re-leitura do artesanato antigo.

E qual a diferença para o termo artesanato? 
Praticamente nenhuma em termos conceituais. Na questão prática, artesanato deve ser o resultado de uma obra, onde mais de 80% da peça final provem da transformação da matéria prima pelo autor. 

BAZAR > É um mercado de vendas, onde produtos diversos são comercializados, geralmente com preços atrativos. 
Comum em áreas de influência islâmica, mas não restrita a elas. 
Local de exposição, apreciação e negociação de produtos. Qualquer semelhança com o termo feira não é mera coincidência. A feira livre, a feira de antiguidade, não deixam de ser um grande bazar.  Aqui a diferença restringe-se apenas a origem dos termos. Bazar esta atrelado a cultura de países sob a tradição islâmica e feira é ligada aos países sob influência do catolicismo. As feiras, antigamente, geralmente ocorriam paralelas as festas santas.

Depois de ler o texto até aqui, talvez você esteja perguntando, então é tudo a mesma coisa? Bazar Craft e Feira de Artesanato são farinhas do mesmo saco? 
Podemos responder sim, são farinha do mesmo saco. 
E agora, qual termo é o mais adequado?
Depende do que está sendo proposto. Se a idéia é uma reunião moderninha, descolada, de produtos feitos a mão, que não necessariamente se enquadram no conceito artesanal propriamente dito (80% manufaturado), ou quando há uma mistura de produtos industrializados, produtos reciclados ou customizados, mais adequado seria utilizar o termo Bazar Craft.
Já se a ideia estiver atrelada ao produto artesanal, feito a mão do início ao fim, melhor é denominar como Feira de Artesanato.
Agora, é bom lembrar que independente do nome, essa reunião de artistas não ocorre mais nos moldes de antigamente. 
Com a oferta dos mais diversos produtos industrializados, ou dos produtos 'xing-ling' de  1,99 reais, hoje em dia, ninguém vai a uma feira de artesanato ou bazar craft para ver 'mais do mesmo'. 
Quem comparece aos eventos quer novidade, quer exclusividade, quer peças modernas e descoladas. Quer ver fofura, quer se encantar. Quer sim, sair do local com os olhos brilhando e uma sacolinha nas mãos. O cliente quer produto e quer comprar. 
Mas, é preciso lembrar, que pano de prato é coisa do tempo da vovó. Hoje, o mínimo  que se espera, é um pano de copa ou um bate mão prático e higiênico. 
Se você não sabe o que é isso, ou você é do tempo da vovó, ou está indo na feira errada.  Agora, se ficou curioso, é porque não teme as novidades, conheça o craft moderno!

*Nosso texto não desmerece quem faz panos de pratos, eles são necessários e podem ser  belíssimos como as pinturas de Isabella Morais ou os apliqués de Samar Kauss. Apenas serviu de exemplo para que as pessoas não se acomodem naquilo que é conhecido.
*O que foi escrito neste post, não esgota a discussão sobre o significado das palavras.
Fontes de Pesquisa:
Wikipedia
Enciclopédia Itaú Cultural

3 comentários:

Rafa disse...

Na verdade esses "artesanatos" batidos acabam desvalorizando quem realmente fica horas pensando e colocando em prática coisas diferentes e com as melhores técnicas, pois cobram 3 reais o que a gente cobraria 15, aí acaba que passamos por "careiras", quando na verdade o tempo e a qualidade que estão em jogo.
Felizmente quem entende de artesanato e/ou tem um olhar crítico, percebe de longe a diferença :D

Boa explicação, Aninha!
beijão

Cibele Studart disse...

Uau! professora, vc arrasou! Amei a aula!
Mais uma vez vc prova q estuda e pesquisa, não só nos seus CRAFTS, mas até nas postagens cibernéticas....
É isso aí, vamos valorizar, mas APENAS o que MERECE ser valorizado ;) Panos de prato pintado com mensagens evangélicas vende aqui em qualquer sinal; mas quando é pintado, costurado, com aplique e no capricho.... aí sim, faz toda a diferença.

♥ Nia disse...

Excelente post! :D