21 abril 2015

SP - 25 de março e Brás valem a pena?

Quem segue a nossa casinha nas redes sociais, soube que viajei na semana passada. Fui para São Paulo-SP-Brasil, o paraíso do material craft. Mas será que esta afirmação de fato é verdadeira? Já recebi perguntas como as citadas abaixo, de pessoas curiosas sobre o custo-benefício de uma viagem assim e por isto resolvi compartilhar o assunto aqui no blog.
 
A capital paulista é mesmo este mundo maravilhoso para compras de material de artesanato?
Vale a pena viajar para lá?
Compensa?
É mesmo mais barato que nos outros estados?  

Não existe uma receita única e cada uma dessas perguntas deve ser pensada, ponderada, avaliada e calculada por quem pretende se aventurar por lá, ou por aí. Por isso, vou partilhar as minhas experiências, ok? Meu ponto de vista e gostaria que vocês expusessem os seus, nos comentários.

 
SP vale a pena para o Atelier Caseiro e também para mim.
Todas as vezes valeram a pena e claro que o conhecimento aumenta em cada experiência, fazendo com que compense ainda mais. Hoje sei quais as melhores lojas, sei qual loja vende o material que preciso, tenho amigos que moram por lá, e sabem o comércio que está com o melhor preço...

No meu caso, SP NÃO É uma viagem exclusiva de compras.

Tenho familiares e muitos amigos na cidade então além das compras, gosto(muito) de estar com estas pessoas.
Agrego diversão ao trabalho. Ok, sempre faço isso, mas quero dizer que  normalmente fico mais tempo do que se fosse uma viagem exclusiva de trabalho, que eu poderia até ir e retornar no mesmo dia. Ou no dia seguinte, ou mesmo, em excursões rodoviárias, no estilo das sacoleiras, com baixíssimo custo e exclusiva para compras.

Em SP, já fiquei hospedada em hotel, na casa de amigos, na casa de parentes. Onde ficar é um item que influencia no custo da viagem. De qualquer viagem para qualquer destino.

Onde ficar, inclui atenção para localização, região da cidade, bairro!
São Paulo é uma cidade GRANNNNNDE, bem  grande e diferente da nossa pacata cidadezinha na roça, ou seja, o bairro onde você ficará tem influencia direta no custo do transporte local. 
Locomoção: carro, carona, estacionamento, taxi, metro, ônibus... isso deve ser colocado no papel, já que em SP, você não conseguirá fazer tudo a pé.
São Paulo têm um sem fim de restaurantes, comida dos mais diversos tipos e valores, padarias, supermercados, quiosques, opções para todos os paladares, bolsos e uma certeza: em algum momento, você precisará se alimentar, por menor que seja o custo, e ele pode ser quase o mesmo da sua casa, ainda assim, é um custo para ser considerado no total da viagem.
 
Na lista já temos custos de hospedagem, transporte, alimentação, que podem ser maiores ou menores, mas precisam ser calculados e considerados.
Olha que ainda não falei das compras porque antes delas, preciso chegar até SP.
No meu caso, o caminho foi aeroporto, voo para Congonhas.
Atenção aqui, por vezes passagens para o Aeroporto GRU, tem valor bem mais atrativo, mas lembre-se que fica em Guarulhos, grande SP e isso gera custo de transporte e tempo, caso você não tenha carona. O valor da passagem, varia conforme a época, a companhia aérea, horário, mas é possível obter bons preços se você souber pesquisar. Para terem ideia, gastei no trecho POA-SP-POA, praticamente o mesmo que gasto abastecendo o carro com um tanque completo de gasolina.
 
Já temos 4 itens que requerem investimentos: passagem(chegar em SP), transporte(andar em SP), hospedagem(ficar em SP), papá delícia(comer em SP). Isso irá determinar o quanto é vantajoso ou não ir até lá para fazer compras. Há opções mais caras e baratas para estes itens. E somado a eles, é bom pensar em quantos dias pretende ficar na cidade, quanto tempo precisa para dar conta de fazer as compras ou cumprir todos os compromissos!
 
As compras... vamos finalmente falar delas.
Itens craft valem a pena sim, seja na 25 de março ou Brás, as compras compensam. Só alguns exemplos:
Botões paguei 20 centavos, aqui na cidade pago 0,60 pelo mesmo botão.
Tricoline digitalizado que na cidade custa mais de 40 reais o metro, paguei menos da metade do valor.
Tricoline estampado multimarcas a economia passa de 14,00 reais em cada metro. Levando em conta que na mala vieram mais de 80 metros, essa economia com certeza paga os 4 itens relevantes para que a viagem aconteça, passagem, transporte, hospedagem e comida, considerando aí um padrão sem luxos nem excessos.
Tesoura de 21cm, de boa qualidade por 7 reais, mais barato do que mandar amolar.
Zíper que na cidade pago perto de 1,50 ou mais, lá paguei menos de 30 centavos a unidade.
 
Vale a pena, claro que vale.
Se eu recomendo? Sim, recomendo!
Mas nem todo são flores. Para trazer muito, é preciso ir com uma mala vazia e evitar excesso de bagagem. 
É preciso ter uma lista e tentar ao máximo manter o foco nela. É fácil se deslumbrar e gastar bem além do necessário.
Se você conhece as lojas, escapa fácil destas armadilhas, se não conhece e vai debutar no maravilhoso mundo encantado de SP, é bom ir acompanhada de alguém que tenha experiência na região.
 
Ainda, é preciso lembrar que a maioria destes valores é para compras no ATACADO! Atacado lá, nem sempre é sinônimo de possuir CNPJ, mas sim, de consumir grande quantidade.
Se você usa pouco material, nem sempre vale a pena, para que valha, o melhor é juntar um pequeno grupo de amigas, comprar e partilhar o material. Diversas vezes já fiz isso, com materiais que são pouco usados aqui, mas que ainda assim preciso ter na casinha. 
Botões a dúzia é o mínimo, pode ser botão variado e colorido, mas 12 é o mínimo. Tecido o mínimo para corte é 1 metro, bem poucas lojas vendem tecidos cortados e composês como os que encontramos nas feiras. Zíper o mínimo é um pacote com 10 unidades de cada cor ou o corte de 1 metro.
Os calcadores para máquina industrial, lá paguei menos de 2,00 enquanto aqui, o mais baratinho custou 8,00.
Lá almocei por 20,00 como almoçaria por aqui.
Andei de taxi por 10 reais, como gastaria aqui.
O valor de ônibus e metrô assemelham-se com os daqui.

Mas então, considerando tudo isso, vale a pena? Lógico que vale e muito. Olha o carrinho lotado!

Só precisamos entender que as lojas que revendem os produtos em nossas cidades, arcam com custos de aluguel, funcionários, encargos tributários, e querem lucro, e isso justifica um valor bem mais alto, mesmo que ele doa nos nossos bolsos. Quem vai buscar mercadoria, além do custo, incluirá o lucro para revender cada item, ou o custo do frete, tal como os 4 itens relevantes citados acima para que uma viagem de compras aconteça. É por conta disso que os itens são tão mais caros nas nossas cidades.

É preciso lembrar que o que trouxemos nas nossas malas não será revendido. A mercadoria é para uso exclusivo no Atelier Caseiro. É matéria prima para produzirmos as nossas lindezas, não revendemos, então para nós o custo-benefício é excelente e nos permite praticar um preço justo de mercado para os nosso clientes.

Respondendo ao título do post, se for bem calculada, uma viagem até SP exclusivamente para compras vale a pena e sim, principalmente quando bem planejada.
 
Agora uma viagem a SP, com família e amigos, além de negócios e compras, é uma benção.
Super vale a pena, é um 'tudão' com baixo custo e excelente benefício.
Estar em SP, é sempre muito, muito agradável.
Rever amigos queridos, ser mimada pela família, rir até a barriga doer, fazer caretas e registrar numa foto pra toda vida... só isso já vale a pena.
Acrescentando ao pacote diversão, compras, mala cheia e Atelier Caseiro abastecido de lindezas... Que mais eu posso querer?
Além de desfazer as malas e por as mãos na massa, mais nada! ♥

Um comentário:

Stella Hoff Aulas disse...

Nóis, a paulistada que o diga, vale super a pena fazer compra aqui, tipo, por mim, eu gostaria que viesse uma vez por mês, ou por trimestre, rs
Séloku, aposto que nem trouxe roupa só pra poder levar tudo embora e não ter excesso de bagagem! Bjs